Na Teia do Porco Aranha – Poemas de Banheiro

Porco Aranha
Porco Aranha

Porco-Aranha! Porco-Aranha! É mais porco que aranha! Vai tecendo sua teia! Nunca apanha! Só chateia! Ele é Porco-Aranha!

Bom, senhoras e senhoras, Eu sou o Porco-Aranha. Fiz uma longa pesquisa de campo por toda a minha cidade, Manaus, em todos os banheiros. É incrível como a mais bela arte surge dos lugares mais improváveis e inesperados. Nos banheiros, o ser humano tem a oportunidade de fazer o que quiser e o que precisar, desde urinar até… Pergunte aos seus pais. 🙂

Em minha pesquisa, eu selecionei os mais belos poemas de banheiro de todos. Banheiros de escolas, universidades, supermercados, hospitais, aeroportos, hoteis, restaurantes, boates, casas, etc… É claro que eu estava disfarçado de Inpestor Sanitário.

Banheiro Sujo
Banheiro Sujo

É incrível a capacidade desses porquinhos em sujar e rabiscar os banheiros, não importa qual. Eu selecionei os melhores poemas de banheiro que encontrei. Claro que vou postar somente poemas sem palavrões. Então, dá para ver que foi difícil escolher só os sem palavrões. Então, aí vai os poemas de banheiro:

Atenção! Os poemas abaixo contém linguagem vulgar e chula. O ministério da educação, ética e moral e o conselho de aprovação BignadaQuasar, instruiu-me a sempre colocar spoilers e textos polêmicos em preto. Selecione o texto preto para ler e, se o fizer, a responsabilidade será sua, somente sua e apenas sua.

“Não há prazer mais legal

Que cagar num matagal,

E nenhum prazer mais delicado

Que depois de haver cagado.”

“Se cagar for um crime

E a merda um contrabando,

Chamem a polícia

Porque estou me cagando.”

“Os escritores de banheiro,

São poetas de ocasião

Que buscam na merda

Sua fonte de inspiração.”

“O aroma tão profundo

Pela casa se expande

E provoca a partida

Do mau-vindo visitante.”

“Que triste é amar sem ser amado,

Porém é mais triste cagar sem ter almoçado.

Neste lugar, Neste banheiro,

Termina aqui, o esforço de um bom cozinheiro.”

“Se um dia eu me sentasse

Na bacia sanitária

Para pensar em sexo,

Ou em como as pessoas

Literalmente se comem,

Uma frase filosófica

Comporia:

Nem mesmo sinfonia

Inacabada,

Por mais afinada que fosse,

Me levaria

E tomar banho de chuveiro sozinha

Apesar de que a água

É sempre boa companhia…”


“Este é um lugar solitário onde toda vaidade se acaba,

todo covarde faz força e todo valente se caga!”


“Não faça o flamenguista em qualquer lugar
faça na privada”


Clássica:

“Quando sento no vaso
sinto uma sensação profunda
a bosta bate na água
e água bate na bunda”


“elevador
é levador
eleva a dor
e leva a dor”


“Enquanto vc está cagando tem um japonês estudando”


Clássica:

“Cago pra mundo
Cago pro universo
E foi cagando
Que fiz este verso”

Banheiro Detonado
Banheiro Detonado

Bonito. Realmente bonito. Os poemas, não o banheiro.:)

Fico pensando, porque existem tantos poetas de banheiro. Seria medo estou achando, mas há outros motivos a se pensar primeiro. Nem tudo que se faz no banheiro fede e é uma porcaria. O banheiro é um lugar sagrado, onde até o mais tímido poeta se libertaria. Até o maior poeta precisa ir ao banheiro. Necessidade é para até o maior guerreiro. Não há vergonha em ser verdadeiro. Somos poetas de banheiro.

Enfim, deixando a poesia de lado um pouco, é interessante o estado do banheiro em todos os lugares que se pensar, exceto nossas casas (Pelo menos a minha). Parede riscada, privada entupida, fedor desagradável, sujeira no chão. Há lugares que podemos tolerar, mas há alguns absurdos. Já fiz minhas necessidades com sapos ao meu redor. Já tive que fazer no escuro, pois não tinha lâmpada. Tem banheiro que nem funciona, todo arrebentado. Banheiro fechado. Banheiro alagado. As pessoas destroem seus próprios banheiros. Sacanagem. Entrar em um banheiro detonado, sujo, fedorento é literalmente ser pego de calças arriadas. O banheiro é o local onde ficamos bem mais indefesos. Mas há quem faças belos poemas mesmo nessas situações difíceis.:)

Então…

Não faça do seu banheiro um chiqueiro.

Bignadaquasar, onde nada é cósmico e nada é um poema de banheiro.

Por Porco-Aranha.

Anúncios

11 comments

  1. Eu quero ser um poeta de banheiro:
    “Cagou fora ?
    Pq não cagou dentro ?
    Ta com a bunda torta?
    Ou o c.. fura do centro ???”

    Isso tinha na parede do banheiro do D. Pedro II. Foi colocado pela diretoria.

    até.

  2. Poema clássico nos banheiros da Escola Tėcnica Nacional, RJ, década de 60. ” Obrigado seu servente, por esse banheiro indecente, ao invés da gente cagar nele, ele é que caga na gente”.

Deixe uma Resposta para Claudionor Barros Cancelar resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s