Crítica: O Príncipe da Pérsia – As Areias do Tempo (The Prince of Persia – The Sands of Time)

O Príncipe da Pérsia - As Areias do Tempo
O Príncipe da Pérsia - As Areias do Tempo

Para começo de conversa, subestimei O Príncipe da Pérsia. Eu não botava muita fé no filme, prova essa que nem o assisti no cinema, só pude vê-lo recentemente. O filme superou minhas expectativas. Se me lembro bem, o filme foi abaixo do esperado e não rendeu tanta bilheteria como era esperado, mas se a Disney está em busca de um substituto para Nárnia ou mesmo um alternativo para Piratas do Caribe, na minha opinião O Príncipe da Pérsia é uma boa pedida. Eu achei este filme no nível do primeiro Piratas do Caribe, inferior em algumas partes, superior em outras e igual no resto. Creio que no final das contas, Piratas do Caribe sai ganhando, mas não por muito. Obviamente, Jack Sparrow (Johnny Depp) é mais carismático e tem frases mais marcantes que Dastan (Jake Gyllenhaal), mas eu achei este um excelente protagonista também. Um dos pontos altos do filme é que adaptaram muito bem aquelas acrobacias dos jogos modernos, sem ficar forçado no filme.

Prince of Persia - The Sands of Time
Prince of Persia - The Sands of Time

Príncipe da Pérsia – As Areias do Tempo é uma produção bem equilibrada. Tem boas cenas de ação. Tem doses controladas de humor, nada que faça você gargalhar, mas tem alívios cômicos eficazes. Os efeitos especiais são legais, aliados a uma fotografia competente e paisagens muito belas, creio que a maioria em CGI. Na realidade, este é o melhor filme com o tema “Espadas e Magia” que eu assisti em muito tempo, muito superior ao fraco e pobre Fúria de Titãs. O roteiro não é nada lá revolucionário e não foge muito ao básico, mas em uma história com “viagens no tempo” ele não ter se embolado todo é um mérito. Achei esse recurso muito bem usado aqui. Não ficou apelativo nem enjoativo, mesmo com um final um pouco “moralista” e “bonitinho”, mas nada inesperado vindo da Disney. Já que toquei nesse assunto, há uma dose muito boa de violência no filme até com sangue em algumas cenas, o que eu achei inesperado de uma produção da Disney. Estava receoso, pois a falta de violência em filme com guerreiros que lutam com espadas sempre foi algo que me incomodou e aqui eles não fazem quem está assistindo de idiota como por exemplo nos filmes dos X-Men, onde o Wolverine corta todo mundo e não aparece uma gota de sangue, nem sequer ferimentos, todos são feitos de papelão. O casal romântico do filme tem uma boa química e não se limita a previsibilidade. Faltou ao filme algo mais. Ele cansa um pouco, mesmo sendo em suma bem divertido. Não sou conhecedor dos jogos, mas não acho que esse filme foi ruim. Como eu disse logo de cara, superou minhas expectativas e é uma boa pedida.

Nota 9,2 para Príncipe da Pérsia – As Areias do Tempo.

Nota 9,2 = Porco-Assado
Nota 9,2 = Porco-Assado

BignadaQuasar, onde nada é cósmico e nada é O Príncipe da Pérsia – As Areias do Tempo.

Por Akanadin.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s