Crítica: Hotel Transilvânia

E Genndy Tartakovsky estréia no cinema. Não o começo ideal, mas necessário.

Hotel Transilvania

Hotel Transilvania

Hotel Transilvânia tem um problema seríssimo e esse problema se chama Adam Sandler!

A frase acima é o suficiente para a maioria dos que estão lendo já evitarem de ver o filme. haha

Não me levem a mal. O gosto do Adam Sandler, como já devem ter visto em críticas minhas dos filmes dele, mas eu gosto do Adam Sandler nos filmes dele. O filme é dirigido pelo Genndy Tartakovsky, criador de Laboratório de Dexter e Samurai Jack, e protagonizado e produzido pelo Adam Sandler. Nisso, acaba que o filme puxa muito mais pro lado do Sandler do que o Tartakovsky, é um filme de estúdio.

Nisso entramos em outro problema que é o problema atual do Adam Sandler: Ele entrou numa vibe sem fim de filmes para família sobre família há a alguns anos (Click, Gente Grande, Esposa de Mentirinha, Cada um tem a gêmea que Merece e já vai lançar Gente Grande 2) e Hotel Transilvânia é um filme família focado no Drácula e sua filha. O que se esperava era um filme paródia desses monstros clássicos, mas isso fica muito de lado sobrando uma tirada engraçada aqui e ali (Mérito do diretor, tenho certeza) e um final apressado. O que é uma pena, tinha mais potencial.

Hotel Transylvania

Hotel Transylvania

Outro problema é a dublagem. Especificamente alguns personagens que tem vozes abrasileiradas demais. Tem um mordomo NORDESTINO e o um Lobisomen que foi dublado pelo mesmo cara daquele filme: MUITA CALMA NESSA HORA. Cara… É de doer. O pessoal do cinema se passou, mas não deixa de ser de doer. haha

Em suas qualidades, o filme visualmente é muito bom. Começando pelo Drácula e seus movimentos cartunescos que parodiam o jeito clássico do vampirão se mover. Ao longo do filme vemos várias criaturas e monstros interessantes, num nível até Tim Burtaniano se for para comparar.

O roteiro é simples, não é muito difícil sacar a trama. Como eu disse, é um filme de estúdio. Deve ter mudado muito ao longo de seu desenvolvimento, não dando muita liberdade ao diretor. A começar que o filme é leve demais, em certos momentos vemos claramente que tinhasse em mente algo mais pesado ali, mas acabou sendo amenizado.

O filme vale pelo visual, por várias tiradas engraçadas e pela animação cartunesca bem feita, mas peca na dublagem e no roteiro prejudicado. No fim, é sim uma boa opção para se levar as crianças no cinema e já vale por ser beeeeeem melhor que o último filme do Adam Sandler. hahaha

Nota 7,5 para Hotel Transilvania.

BignadaQuasar, onde nada é cósmico e nada é Hotel Transilvânia.

Por Akanadin.

4 thoughts on “Crítica: Hotel Transilvânia

  1. Bem, não vejo nenhum problema com sotaque na dublagem. Apenas “não”. Tanto faz, em tudo.

    PS: Indicar Muita Calma Nessa Hora é uma referência muito vaga. Metade do elenco da Globo tava “naquilo”. Essa onda de cinema nacional faz TODOS os filmes brasileiros parecerem especiais de 70 minutos escritos pelos roteiristas do Zorra Total com o elenco do Zorra Total. E com a GRAÇA do Zorra Total. Era melhor o cinema brasileiro morrer de novo, por favor.

  2. Sotaque não é problema quando bem feito. Um exemplo é a dublagem excepcional é a Tá Dando Onda, que ficou muito boa.
    Agora em Hotel Transilvânia não caiu bem. É tudo é uma questão de se ficar bem feito, ótimo. Pegue as dublagens do Guilherme Briggs por exemplo.

  3. vc é outro ridículo que não sabe avaliar a qualidade da dublagem…. melhor estraga…parabéns…e por isso tá chegando o Hotel Transilvânia 2 …anime esse que gerou mais de 238 milhões… chupa…. seu criticozinho ridículo…

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s