Crítica: G.I. Joe 2 – Retaliação

Mais Comandos em Ação e menos colorido do que o primeiro filme.

G.I. Joe 2 - Retaliation
G.I. Joe 2 – Retaliation

Devo admitir que eu protelei por tempo demais assistir o primeiro filme. Simplesmente não me interessei e deixei para lá. Não conhecia nada dos personagens e Comandos de Ação não fez parte da minha infância, os trailers não me chamaram atenção e as críticas negativas que o filme recebeu não me encorajaram a ver o filme. Nisso, com a estréia do segundo filme esse ano, resolvi conferir finalmente o primeiro e para minha surpresa o filme me agradou muito mais do que eu esperava.

G.I. Joe – A Origem de Cobra tem seus defeitos e não são poucos. A ação é desenfreada e acaba deixando o filme muito massante, além do exagera da tecnologia fantástica do filme e vários momentos que beiram ao cartunesco, mas… O filme se salva por um fator muito importante. Os personagens carismáticos e marcantes. Acaba que aquele universo criado é interessante e os personagens salvam o filme. Temos Duke e Ripcord fazendo a dupla protagonista com uma boa química, Snake Eyes e Storm Shadow com uma rivalidade digna de Sub-Zero e Scorpion, o doutor que ao final se torna o Comandante Cobra, enfim… São personagens cativantes e interessantes o suficiente para me empolgar a esperar uma sequência.

Então, chega G.I. Joe 2 – Retaliação e repara vários erros do primeiro filme e ganha um novo tom com The Rock e Bruce Willis.

G.I. Joe 2 - Retaliação
G.I. Joe 2 – Retaliação

Mais sério e com a ação bem melhor pontuada, o filme supera o primeiro. Apesar de ter um cuidado maior, ainda há vários momentos cartunescos e soluções muito simples, a forma que o Storm Shadow escapa do aprisionamento e a forma como destroem os satélites no final por exemplo, mas é um filme que não se leva tão a sério ainda e provém uma boa diversão.

Ele é mais realista que o primeiro, pois a ação se torna mais crua, mas ainda é uma trama extraordinária e fantástica, apesar de que o filme ainda consegue fazer umas pontadas leves de críticas com relação aos E.U.A. e a questão nuclear.

Eu achei esquisito a princípio terem tirado o personagem Duke (Channing Tatum) de cena e colocado o Roadblock (The Rock) como protagonista, mas funcionou muito bem e o filme continua sendo G.I. Joe, a história é sobre o grupo, e não um filme solo do The Rock, sendo que até a entrada de Bruce Willis na trama não distoa a história, o que seria um desastre, mas funciona muito, pois seu personagem chama-se Joe, aquele que dá o nome ao Comando.

G.I. Joe 2
G.I. Joe 2

E, não poderia deixar de falar do Snake Eyes e Storm Shadow, que são na prática um show a parte e renderiam um filme solo/spin off só com eles e os ninjas, com a adição de personagem Jinx que fica como sidekick do Snake Eyes. Aqui também vemos o Comandante Cobra com o visual clássico e agindo com aquele vilão que se espera dele. Agora, os personagens Flint e Jaya são meio apagados, apesar desta última ter ótimos faróis acesos (hahahaha Piada infame).

Em suma, G.I. Joe é uma franquia que demonstra muito vigor e rende fácil um terceiro filme.

Nota 8,0 para G.I. Joe 2 – Retaliação.

Mundo Bignada, onde nada é um novo mundo e nada é G.I. Joe 2 – Retaliação.

Por Akanadin.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s