Crítica: Thor – O Mundo Sombrio

Thor no maior estilo Vingadores, Star Wars e Senhor dos Anéis.

Thor - O Mundo Sombrio

Thor – O Mundo Sombrio

E Thor – O Mundo Sombrio é o filme mais diferente de tudo que vimos até agora na Marvel (E também dos filmes de super-herói num geral acho que posso dizer) até Guardiões da Galáxia estrear. Os trailers não entregaram praticamente nada do filme. Ele tem o maior jeitão medieval como Game of Thrones e Senhor dos Anéis, mas surpreendentemente também lembra muito Star Wars e Star Trek e é muito maior que o primeiro filme. É quase unanimidade que ele é melhor que o primeiro filme, mas é claro que ele é mais fantástico que o primeiro filme. Vemos muito mais de Asgard e de seu mundo fantástico, não apenas salas, mas construções, ruas e as pessoas de Asgard, além de que vemos Asgard de dia, e as cenas de ação são bem mais elaboradas.

Com um Thor mais maduro, um Odin mais humanizado, um Loki ainda imprevisível e carismático, um vilão imponente e um elenco melhor usado, a direção do diretor Alan Taylor, de Game of Thrones, é bem mais firme e acerta muito com o Thor. Temos aqui um filme bem próximo aos Vingadores e muito divertido como ele. E se a Marvel queria aproximar a tecnologia a magia no universo do Thor, nesse filme ela dá um passo muito maior para mostrar isso. É notável ver que eles mantiveram o que deu certo no primeiro filme e consertaram o que não deu.

E se no primeiro filme era apenas um buraco de minhoca aparecendo no Novo México, se prepara para esse! A viagem é muito maior e ainda bem que é. 🙂

Thor - The Dark World

Thor – The Dark World

Visualmente é o filme de super-herói que mais se destaca, junto com Hellboy 2, e também repleto de cenas muito inspiradas. Principalmente a sequência final que é sensacional. Num geral, todo o trabalho de maquiagem, figurinos e efeitos visuais me impressionou muito, sem falar de edição de som.

O Chris Hermswoth, já confortável no papel, continua imponente como o Poderoso Thor. Esse é o filme em que o Loki menos tem destaque, mesmo assim o Tom Hiddleston manda muito bem no personagem. Odin do Antony Hopkins continua grandioso, mas agora ele é suscetível a falhas, você questiona as atitudes dele. A Jane Foster da Natalie Portman é trabalhada melhor no filme. Acho que ela ficou meio perdida no primeiro filme, pois ela tinha uma função muito simples, mas aqui o roteiro direciona ela melhor. O vilão Malekith é imponente, mas ele não tem uma motivação maior. Ele é só um ser com propósito de destruição mesmo, quase como um monstro de fato.

O filme é repleto de cenas de humor, o que muitos abominam e querem um filme todo sério, mas eu acho que funcionou muito bem. Sim, tem umas cenas que são o humor pelo humor, todas a da Kat Dennings por exemplo, mas o filme não para pela piada (Estou olhando para você Dragon Ball Z – Batalha dos Deuses). O humor dá tom e fluidez aos filmes, tem quem não entenda isso, e impede de acabar sendo uma experiência enfadonha e arrastada, além de dar natureza e simpatia aos personagens (Homem de Aço falha em tudo isso), então o humor é um ponto forte do Thor, e dos filmes bons da Marvel.

Thor - O Mundo Sombrio (Thor - The Dark World)

Thor – O Mundo Sombrio (Thor – The Dark World)

Continua o apelo feminino do filme ao romance, mas como ele é mais eletrizante é bem melhor.

MAS, como todo grande filme, ele tem coisas questionáveis. No filme vemos o Dr. Selvig fazendo uma coisa bizarra na televisão e fica subentendido (E até meio dito) que ele ficou meio LÉLÉ por causa do que aconteceu com ele em Vingadores, mas mais importante é que sem maiores explicações ele aparece depois com aparelhos que são importantíssimos pro fim do filme. É aquela coisa da super ciência da Marvel, como a tecnologia do Tony Stark e a da Hydra na Segunda Guerra, que estamos muito acostumados nos quadrinhos. Além disso tem algumas coincidências de roteiro, envolvendo uma incrível sorte (Ou falta da sorte) da Jane Foster por exemplo. Mesmo assim, não achei que comprometeu e nem me incomodou na hora, só depois eu pensei assim, mas passa.

Eu realmente adorei o filme. Digo que é o melhor filme de quadrinhos do ano. É um história despretensiosa de fantasia, ficção científica e super-herói que reúne praticamente tudo que eu gosto no cinema com equilíbrio e uma direção muito firme. Tenho pensando bastante e acho que esse é o meu segundo filme favorito da Marvel, perdendo só para Vingadores. Não é um filme impecável e perfeito de outro mundo (Só de um mundo sombrio), mas está no patamar de um ótimo e grande filme de super-herói. E que venha o terceiro filme, pois aquele final é do c******!

Nota 10 para Thor – O Mundo Sombrio.

PS.: A primeira cena pós-crédito continua a construir o caminho iniciado em Vingadores e faz ponte com Guardiões da Galáxia, então não perca principalmente ela. Gemas do Infinito

Mundo Bignada, onde nada é um novo mundo e nada é Thor – O Mundo Sombrio.

Por Akanadin.

1 thought on “Crítica: Thor – O Mundo Sombrio

  1. Pingback: ESPECIAL 10 ANOS DE MCU: Todas os Reviews dos Filmes da Marvel Studios do Bignada – Mundo Bignada

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s