CRÍTICA: Logan (2017)

Hugh Jackman cansado.

Logan

Logan

E finalmente estreia Logan no cinema, filme que promete ser a despedida de Hugh Jackman do papel de Wolverine no cinema.

O filme é mais um filme de origem da X-23 e os Novos Mutantes do que uma adaptação de Old Man Logan. Logan e o Professor Xavier precisam proteger a X-23 e o futuro da raça mutante.

A trilogia do Wolverine é uma das mais bizarres de todas dos filmes de super-herói e do cinema também. São três filmes (X-Men Origens: Wolverine, Wolverine Imortal e Logan) que na verdade não tem nada haver um com o outro.

Logan (2017)

Logan (2017)

Hugh Jackman, que passa praticamente metade do filme dormindo, faz um Wolverine cansado, calejado e sofrido, até manda bem em alguns momentos mais dramáticos do filme, mas num geral mantém a mesma atuação de sempre do personagem, sem se arriscar, diferente do Patrick Stewart que faz um Professor Xavier nunca antes visto no cinema.

O destaque vai para Laura/X-23 onde a menina, apesar de ser um atriz mirim, manda muito bem e já fica o gancho para o filme dos Novos Mutantes.

Os vilões são muito ruins. Os piores vilões dos três filmes do Wolverine, por incrível que parece. Eles são os carniceiros, um cientista e um clone DU MAL do Wolverine.

Partes são mal explicadas como o que realmente o Professor Xavier fez (Fica em aberto se ele realmente matou todos os X-Men) ou como foi o estratagema do doutor para “vacinar” os mutantes. Também não se sabe se este é o futuro visto no filme de X-Men: Dias de um Futuro Esquecido ou se é outra linha do tempo.

Logan

Logan

Pode parecer meio insensível, mas não senti emoção com a morte do Xavier e a morte do Wolverine no filme, mas o motivo é a cronologia bagunçada dos filmes dos X-Men.

Essa é a terceira morte do Professor Xavier do cinema (X-Men 3: O Confronto Final, X-Men: Dias de um Futuro Esquecido e agora em Logan), então óbvio que não tem o impacto que poderia ter. No caso do Wolverine, o personagem foi tão saturado que não vejo tanto sentido nesse filme. Coloca o Wolverine como herói lendário dos X-Men, sendo que não vimos esse ídolo ser criado nos filmes passados. O filme pede uma carga que os filmes passados não construíram, mas sim uma carga dos quadrinhos, que o próprio refuta, depois abraça, mas no fim das contas ignora.

Logan

Logan

Em suma, Logan é um filme muito bom. Emocionante e redondinho, mas paga pelos erros do passado da franquia assim como o Wolverine tem que sofrer pelo seu passado na história.

Fica aí a despedida ao Hugh Jackman que, apesar de eu considerar que mais causou mal do que bem ao personagem, esforçou-se muito e fez um filme bem honesto do Wolverine, onde se tivesse sido assim desde início poderíamos ter uma franquia sensacional.

Resumo da Crítica:

Prós:

-Violência e sangue

-Drama emocionante

-Bons protagonistas

-Ideias novas

Contras:

-Piores vilões da trilogia

-Detalhes mal explicados da história

-Bagunça cronológica

Nota

7,0

Mundo Bignada, onde nada é um novo mundo e nada é Logan (2017).

Por Bruno Akanadin.

Anúncios

Sobre Akanadin

Akanadin, o criador e dono do blog Mundo Bignada.
Esta entrada foi publicada em Adaptação, Cinema, Quadrinhos com as etiquetas , , , . ligação permanente.

Uma resposta a CRÍTICA: Logan (2017)

  1. Pingback: BIGNADACAST #1: Logan | Mundo Bignada

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s