Crítica: Madagascar 3

Seria uma evolução ou involução este filme chamado Madagascar 3? O que eu posso dizer é que ele é um super mutação, pois ele drásticamente muito diferente dos anteriores e ao final ele ser bom ou ruim vai depender da sua satisfação ao assistir o filme e a sua tolerância ao non-sense absurdo, porque é isso que o filme é: Non-sense total, beirando a loucura… E a dose de loucura é grande. O filme não se passa mais no mundo real, se passa numa dimensão paralela criada pelos roteiristas alucinados da Dreamworks. hahahahahaha

Madagascar 3

Madagascar 3

O filme começa na África (Que foi onde se passou Madagascar 2). Então, Alex tem um pesadelo e sente falta de Nova York, então eles decidem ir atrás dos Pinguins para então voltar para o zoológico, onde tudo começou. Ou seja, já começou errado, sacaneando a nossa inteligência. Não tinha motivo nenhum para voltarem para Nova York sendo que eles já tinham saído de lá e se adaptado a “natureza” como eles chamavam (EM MADAGASCAR E NUMA SAVANA DA ÁFRICA, P****! PRA QUÊ VOLTAR PARA UM LUGAR QUE ELES JÁ TINHAM CONTASTADO QUE ERA RUIM E O PIOR: SAIR DE UM LUGAR ONDE ELES JÁ ESTAVAM BEM ADAPTADOS? NON MAKE SENSE!) e o pior: (Spoiler Alert) O filme termina com eles chegando em Nova York (Spoiler, but who cares?) e contastam o óbvio que lá não é bom. Fuck man! E termina o filme com eles integrados ao circo, indo para sabe sei lá onde. Se rolar um Madagascar 4 com eles fugindo do Circo para voltar novamente a Nova York, não vou me surpreender. (Spoiler Ends)

Bom, é claro que o filme tem suas qualidades. Há dezenas de tiradas hilárias e muito bem boladas. Várias delas mostram claramente que o filme tem total conhecimento de o quanto é sem noção e em nenhum momento o filme se leva a sério. Literalmente em nenhum momento, o filme não se leva a sério nunca, o que não me incomodou. É claro que tem umas partes um pouquinho emotivos e uma delas eu vou frisar, pois ela elabora perfeitamente o que é o filme: “É impossível, mas é por isso que eu queria fazer”, é mais ou menos assim a frase e mostra claramente a identidade do filme. Além das tiradas bem sacadas, há também referências a vida real mesmo, além de humor físico e sequências alucinantes.

Madagascar 3 - Europe´s Most Wanted

Madagascar 3 – Europe´s Most Wanted

Os personagens principais ainda são os mesmos. Alex, o leão, é a força motrix que faz a história começar, seguir e chegar ao final neste filme como ele também é no segundo, função na trama que pertencia a zebra Marty, que tanto no segundo quanto neste é apenas o seu amigo e companheiro, um side-kick para ser mais preciso. Assim, Marty se torna tão secundário quanto Melman, a girafa, e Glória, a hipopótamo, que neste filme são um casal como visto no final do segundo, mas isto é subaproveitado. Os Pinguins ainda são divertidíssimos e nesse ponto eles só melhoram ao longo da franquia. O Rei Julian continua também divertido nesse filme, mesmo seu tempo em tela sendo pequeno para dar espaço aos novos personagens coadjuvantes. Dos novos animais, não há nenhum que chegue a ser carismático. Vou dar destaque ao Leão Marinho Stefano, que ajuda a história a andar e reflete a ingenuidade que cimenta a desprentensão do filme, e ao Tigre Vitaly, que começa como uma figura antagonista e rejeita os protagonistas, mas depois vemos que ele é a representação do culto ao impossível e reflete o nonsense do longa. Por último, mas não menos importante que é a vilã, a Capitã Chantel Dubois que é louca de pedra e é tão sem noção quanto o resto do filme. haha

Sobre os aspectos técnicos, tudo está melhorado. É o primeiro filme 3D da franquia. Eu não assisti em 3D, mas pelo que eu vi do 2D mesmo e pelo que eu li, esse é 3D que todo mundo gosta: Coisas saltando na sua cara a todo momento, fazendo a platéia se desviar. Quanto a isso, eu estou certo que o 3D faz bonito… Ou não, pois a toda a hora o 3D não vai te deixar quieto. Deve ser uma experiência ainda mais surreal. hahahahahahahahaha

Ao final, Madagascar 3 é um filme muito diferente dos outros dois. Não na fórmula batida da história, que é sempre voltar a Nova York, o que sinceramente já deu e acho que esse filme encerra uma trilogia, pelo menos me pareceu. Este é um filme eufórico e histérico que não para, ele não tem freios (Analogia que está presente no filme também como uma tirada). Ele é diferente dos outros em sua execução. O que era apenas um simples história de peixes fora d´água e retorno as origens (Objetivo que se conclui no segundo filme, onde eles retornam totalmente as suas origens), aqui seria meio que uma busca de identidade. E a anarquia da jornada de crise de identidade dos personagens é algo mucho loco, meu irmão, e o apogeu de toda a loucura do filme são duas músicas sendo cantadas AO MESMO TEMPO como encerramento, o que é de fato um final ideal para um filme desses. Dentre as animações deste ano, acho que Madagascar 3 deve ser a pior como eu havia previsto (Ou não), mas certamente ele vai se destacar dos demais.

Nota 7,0 para Madagascar 3.

BignadaQuasar, onde nada é cósmico e nada é Madagascar 3.

Por Akanadin.

Academy Awards 83/Oscar 2011 – Os Grandes Vencedores

The Academy Awards 83 - Oscar 2011

Oscars 2011 The 83rd Annual Academy Awards

Abaixo, a lista dos vencedores do Oscar 2011.

Melhor filme

  • O Discurso do Rei
  • Cisne Negro
  • O Vencedor
  • A Origem
  • A Rede Social
  • Minhas Mães e meu Pai
  • Toy Story 3
  • 127 Horas
  • Bravura Indômita
  • Inverno da Alma

Melhor diretor

  • Tom Hooper – O Discurso do Rei
  • Darren Aronovsky – Cisne Negro
  • David Fincher – A Rede Social
  • David O. Russell – O Vencedor
  • Joel e Ethan Coen – Bravura Indômita

Melhor ator

  • Colin Firth – O Discurso do Rei
  • Jesse Eisenberg – A Rede Social
  • James Franco – 127 Horas
  • Jeff Bridges – Bravura Indômita
  • Javier Bardem – Biutiful

Melhor atriz

  • Natalie Portman – Cisne Negro
  • Nicole Kidman – Reencontrando a Felicidade
  • Jennifer Lawrence – Inverno da Alma
  • Michelle Williams – Blue Valentine
  • Annette Bening – Minhas Mães e meu Pai

Melhor ator coadjuvante

  • Christian Bale – O Vencedor
  • Jeremy Renner – Atração Perigosa
  • Geoffrey Rush – O Discurso do Rei
  • John Hawkes – Inverno da Alma
  • Mark Ruffalo – Minhas Mães e meu Pai

Melhor atriz coadjuvante

  • Melissa Leo – O Vencedor
  • Amy Adams – O Vencedor
  • Helena Bonham Carter – O Discurso do Rei
  • Jacki Weaver – Animal Kingdom
  • Hailee Steinfeld – Bravura Indômita

Melhor roteiro original

  • O Discurso do Rei
  • A Origem
  • Minhas Mães e meu Pai
  • O Vencedor
  • Another Year

Melhor roteiro adaptado

  • A Rede Social
  • 127 Horas
  • Toy Story 3
  • Bravura Indômita
  • Inverno da Alma

Melhor longa animado

  • Toy Story 3
  • Como Treinar o Seu Dragão
  • O Mágico

Melhor filme em lingua estrangeira

  • Em um Mundo Melhor
  • Biutiful
  • Fora-da-Lei
  • Dente Canino
  • Incêndios

Melhor direção de arte

  • Alice no País das Maravilhas
  • Harry Potter e as Relíquias da Morte – Parte I
  • A Origem
  • O Discurso do Rei
  • Bravura Indômita

Melhor fotografia

  • A Origem
  • Cisne Negro
  • O Discurso do Rei
  • A Rede Social
  • Bravura Indômita

Melhores efeitos visuais

  • A Origem
  • Alice no País das Maravilhas
  • Harry Potter e as Relíquias da Morte – Parte I
  • Além da Vida
  • Homem de Ferro 2

Melhor figurino

  • Alice no País das Maravilhas
  • I am Love
  • O Discurso do Rei
  • The Tempest
  • Bravura Indômita

Melhor montagem

  • A Rede Social
  • Cisne Negro
  • O Vencedor
  • O Discurso do Rei
  • 127 Horas

Melhor maquiagem

  • O Lobisomem
  • Caminho da Liberdade
  • Minha Versão para o Amor

Melhor documentário

  • Trabalho Interno
  • Lixo Extraordinário
  • Exit Through the Gift Shop
  • Gasland
  • Restrepo

Melhor documentário em curta-metragem

  • Strangers no More
  • Killing in the Name
  • Poster Girl
  • Sun Come Up
  • The Warriors of Qiugang

Melhor curta-metragem

  • God of Love
  • The Confession
  • The Crush
  • Na Wewe
  • Wish 143

Melhor animação em curta-metragem

  • The Lost Thing
  • Day & Night
  • The Gruffalo
  • Let’s Pollute
  • Madagascar, Carnet de Voyage

Melhor trilha sonora

  • Trent Reznor e Atticus Ross – A Rede Social
  • Alexandre Desplat – O Discurso do Rei
  • John Powell – Como Treinar o seu Dragão
  • A.R. Rahman – 127 Horas
  • Hans Zimmer – A Origem

Melhor canção original

  • “We Belong Together” – Toy Story 3
  • “Coming Home” – Country Strong
  • “I See the Light” – Enrolados
  • “If I Rise” – 127 Horas

Melhor edição de som

  • A Origem
  • Toy Story 3
  • Tron – O Legado
  • Bravura Indômita
  • Incontrolável

Melhor mixagem de som

  • A Origem
  • Bravura Indômita
  • O Discurso do Rei
  • A Rede Social
  • Salt

Fonte:

The Oscar 2011.

Bom, o pessoal do Bignada Quasar não é mais criança. Foi um Oscar excelente.

BignadaQuasar, onde nada é cósmico e nada é Oscar 2011.

Por Akanadin, Porco-Aranha e Orc Descerebrado.

Crítica: Feliz Natal Madagascar

Seguindo os passos de O Natal do Shrek, a Dreamworks repete a dose, mas melhora até.

Feliz Natal Madagascar

Feliz Natal Madagascar

Este filme, comparando com o Natal do Shrek, é bem mais dinâmico e usa mais o Natal. Diferente de seu antecessessor, este filme não chupa-se para fazer outro filme. Neste, há várias tramas paralelas que tornam o filme mais movimentado e o humor dele é bom o suficiente. Como todo especial de natal, ele tem os momentos emocionamentes e tristes, mas nada que supere a Disney, por exemplo. Feliz Natal Madagascar já vale a pena só por ser melhor que aquela bosta de Pinguins de Madagascar que é um lixo.

Nota 9,5 para este filme. Porco-Assado de Seia de Natal.

BignadaQuasar, onde nada é cósmico e nada é Natal de Madagascara.

Por Akanadin.