Crítica: Sherlock Holmes – O Jogo das Sombras

Sherlock Holmes – O Jogo das Sombras segue com o mesmo trabalho feito no primeiro. Isso é bom ou ruim?

Sherlock Holmes - A Game Of Shadows

Sherlock Holmes - A Game Of Shadows

Um personagem como Sherlock Holmes geralmente demanda uma história que seja mais inteligente do que a pessoa que está assistindo, ao menos a grande maioria.  O que acontece é a que as pessoas que estão por trás da produção do filme não são muito mais inteligentes do que se espera nessas condições. A saída mais fácil, muito usada, é criar uma trama cheia de ganchos e reviravoltas, e bote reviravoltas. Quando você olha para um quebra-cabeças montado tudo parece muito simples, mas quando se vê todas as peças bagunçadas e espalhadas e não se sabe o que se montará ao final tudo parece muito mais complexo, algo que desafia sua percepção. Agora imagine um filme onde o protagonista e o antagonista são super gênios?

Felizmente, o filme executa isso de maneira satisfatória. Não chega a cansar quem assista, mérito da direção que consegue prender a atenção de quem assiste e a há muitos momentos de alívio cômico, o que ajuda e são feitos de maneira digna ao meu ver, tirando a cena mais do que clichê do jogo de xadrez.

Sherlock Holmes - O Jogo das Sombras

Sherlock Holmes - O Jogo das Sombras

Em muitos aspectos, tudo se mantém no mesmo nível do filme anterior. Robert Downey Jr. e Jude Law repetem suas atuações. Além deles, não há nenhum outro ator que realmente se destaque. O vilão Moriarty interpretado por Jared Harris está okay, mas está longe de ser interessante e mais ainda ter carisma. Noomi Rapace faz uma cigana que não acrescenta quase nada ao filme. O acerto foi não fazê-la par romântico do protagonista, mas ainda assim longe de ser um personagem interessante. Não só os personagens, mas muita coisa no filme é mal trabalhada. O que salva o longa são os dois protagonistas, a ação bem trabalhada, as reviravoltas até que bem usadas e a sua dinâmica.

Ao final, eu digo que este é sim um bom filme. Lembra os filmes de 007 e tem sacadas muito boas. Ele funciona, é eficaz. Pode ir assistir de boa.

Nota 8,0 para Sherlock Holmes – O Jogo das Sombras.

BignadaQuasar, onde nada é cósmico e nada é Sherlock Holmes – A Game of Shadows.

Por Akanadin.

Oscar 2012 – Os 15 candidatos ao Oscar de Efeitos Especiais

Oscar 2012 - Os 15 candidatos a Melhores Efeitos Especiais

Oscar 2012 - Os 15 candidatos a Melhores Efeitos Especiais

“A Academia de Artes e Ciências Cinematográficasanunciou os pré-selecionados na categoria Efeitos Especiais do Oscar 2012. Os 15 candidatos são:

  • Capitão América: O Primeiro Vingador
  • Harry Potter e as Relíquias da Morte – Parte 2
  • Cowboys & Aliens
  • Hugo Cabret
  • Missão: Impossível 4 – Protocolo Fantasma
  • Piratas do Caribe – Navegando em Águas Misteriosas
  • Gigantes de Aço
  • Planeta dos Macacos – A Origem
  • Sherlock Holmes – O Jogo das Sombras
  • Sucker Punch
  • Super 8
  • Thor
  • Transformers: O Lado Oculto da Lua
  • A Árvore da Vida
  • X-Men – Primeira Classe

No início de janeiro, os membros da Academia vão diminuir esta lista para dez nomes. Os cinco nomes que concorrem ao Oscar serão definidos depois que os votantes reverem trechos de cada pré-selecionado.

Todos os indicados ao 84º Oscar serão anunciados no dia 24 de janeiro de 2012. A premiação acontece em 26 de fevereiro, com transmissão ao vivo para mais de 225 países ao redor do mundo”.

Fonte:

http://omelete.uol.com.br/oscar/cinema/oscar-2012-conheca-os-15-candidatos-ao-oscar-de-efeitos-especiais/

Faça suas apostas em quem levará a estatueta. Está difícil escolher.

BignadaQuasar, onde nada é cósmico e nada é Oscar 2012 – Efeitos Especiais.

Por Akanadin.